19 de jul de 2015

Coragem!


Um novo começo...




Ter dias felizes com alguém faz a gente temer um pouco, me pego pensando meio duvidoso se é real ou quanto vai durar essas maravilhosas sensações de estar com alguém que te faz sorrir enquanto fecha os olhos.

A verdade é que está bom, muito bom e espero que fique melhor e eu consiga não estragar tudo. rs
A outra parte pode também estragar, quando ele deixa de fazer o que realmente quer devido a erros e frustrações do passado. Oro pra que tudo seja resolvido e eu não pague o pato por uma menina ter machucado o coração dele e frustrando planos que eu quero pra mim, pra nós e que no fundo sei que ele também deseja. 

O QUE MEXE COM MINHA (DE)PRESSÃO?

A resposta é muito simples, meus nervos!
Sério! Nunca na história da minha vida minha pressão subiu, pelo contrário, ela já baixou um bocado, por cólica, hipoglicemia, remédios e tal. Mas nunca pensei que num determinado momento minhas decepções sairiam da minha cabeça diretamente para o meu corpitcho! =/

Ontem quando fui com minha mãe na Unimed ela já ia falando que era por eu estar acima do peso, que sou muito ansiosa, estressada, apressada, estabanada e etc. Falei que ela não iria entrar na consulta comigo, mas ela prometeu não abrir a boca e deixei. Tomei um remedinho na veia, a dor de cabeça passou, mediram a pressão e voalá, você está boa volte para casa!

Voltei e hoje continuo com o incômodo na cabeça do mesmo jeito que há 4 dias atrás.
Mas em tudo que minha mãe diz, tem um quê de verdade. O que ninguém sabe é que recentemente meu mundo solitário foi abalado, pra melhor e depois pra pior. E já fazia tanto que eu estava em equilíbrio e harmonia com minha solidão que era até feliz com ela. Existe coisa melhor, mas infelizmente essa "coisa" melhor não deve ser pra minha pessoa.

Eu sei, tô pensando muito negativo de novo. Mas não é isso.
Simplesmente não nasci pra ter alguém do meu lado. Não sei qual o problema, sério!
E tô tão cansada de fazer tentativas e me dá mal que simplesmente me fechei em copas (adoro essa expressão)! Tenho até preguiça conhecer alguém e ter que contar como sou, o que gosto...

Recentemente tive uma pseudo-tentativa frustrante. Que continua me frustrando via celular/whatsapp.
Pelo menos é virtual. Ficar com amigo não dá certo. Preciso descarregar num desconhecido, desculpe essa expressão desajustada e até preconceituosa. Ter passado tanto tempo sem ninguém só pode ter me deixado cega e não visto que isso era uma furada pra minha vida. Isso não deu certo antes e não daria certo de novo, por que persistir no erro?!

Carência! A fdp da carência!
Tenho substituído por chocolate, viagens, natação, corrida, dietas, saídas....
Mas não adianta, se eu nasci pra ser sozinha e não dá certo com ninguém porque tenho que sentir tudo isso?

Acho que guardar isso só pra mim também tem sido um erro meu.
Simplesmente não consigo sentar e conversar abertamente sobre coisas que eu gostaria que acontecessem e que nunca vão acontecer e como isso me frustra e deixa triste o suficiente pra me fazer molhar o travesseiro algumas noites. Acho que tenho um certo preconceito comigo mesma e me julgo incessantemente e sempre acho que posso resolver depois de outro modo. Sou superior, nem que seja só por alguns segundos. E nesses segundos eu vou fazer algo que me faça esquecer e viver minha vida ao "normal".

Ledo engano. Mas que tem me servido de bagagem e de muleta ao mesmo tempo.
Sei que eu poderia ter mais fé, acreditar que algo melhor está sendo preparado para mim. Só que quando se espera algo que acontece com todos, até com aquelas milhares de crianças que vc viu nascer e que já viveram mais do que você, simplesmente você perde a fé.

Pior é você gostar do outro e desejar o bem, mas simplesmente não conseguir fazer o bem porque o sucesso dele te deixa arrasado. Vou dá meu próprio exemplo, minhas amigas têm filhos, fico feliz, mas às vezes prefiro não vê-las porque me sinto frustrada ao pensar que talvez eu nunca passe por essa experiência. Por motivos emocionais ou problemas físicos. E isso me incomoda e me faz ter distância de algumas delas, eu as amo e amo seus filhos e fico imensamente feliz e torcendo pelo bem delas, mas quando as vejo simplesmente fico me sentindo péssima, por mim!