16 de nov de 2010

Porque de Fome eu entendo!




Passeando pela blogosfera me deparei com um texto que duplamente tem a ver com o que eu tenho passado esse ano. Me descuidei totalmente de mim e agora, depois de 'me abandonar', resolvi tomar um rumo na vida, indo desesperada para o endocrinologista e depois sendo enviada diretamente para a "solução de todos os problemas" de alguém que resolve sua TPM atacando a sessão de doces do mercado: A Nutricionista.

Talvez eu já tenha falado, mas se não, rola um replay: Minha nutricionista é linda. É uma inspiração, porque não é seca, nem gorda, tem um corpo ótimo, embora eu ainda ache que ela merece umas aulas de Body Pump na vida dela. Tem a pele maravilhosa, branquíssima sem manchas, espinhas ou qualquer marquinha, cabelos impecáveis loiros com mechas lindas e com Bijoux lindas e chiques (provavelmente são Gold).

Fiquei morrendo de vergonha dela. Eu gorda, unha por fazer, raiz do cabelo horrível, espinhas, unhas por fazer.... Enfim, queria pular num buraco negro sem fundo! Mas, ela foi super legal, incentivadora, falei que já tinha procurado outra nutricionista e a outra não me estimulou a nada. Ela passou a dieta de acordo com minha vida e dia 02 de dezembro tenho retorno, e tô morrendo de medo de não ter perdido nada.

Mas você não tá fazendo tudo direitinho? Tow. Claro que tô... tentando! É muito difícil mudar certos hábitos gente. Tem dias que consigo e tem dias que não. Mas depois desse feriadão realmente necessito fazer tudo direitinho. Comi um bocado de coisa que não podia e agora tenho que correr atrás do prejuh! Sorte que ontem eu fiz uma baita trilha que equivale a umas 2 horas de rpm e deu uma certa equilibrada, mas ainda assim vou pegar pesado na malhação hoje e fecha a boca o resto da semana!

Mas o motivo desse post, não foi exatamente minha nutricionista e sim a fome de outras coisas. Achei um texto maravilhoso da Mirian Bottan do blog Substantivolátil que expressa bem minhas fomes atuais. Lembrou-me que não só minha barriga dói de fome, mas também meu coração. E esse leve incômodo já me trouxe decepções outrora, por não saber agir quando algo legal acontece e você termina  cagando tudo literalmente com aquela expressão "com os olhos maiores que a barriga".  Leia com atenção: 


GULA

Fome é uma merda.




Fome de doce, fome de farra, fome de saquê com morango, fome de alguém, fome de vida, fome de amor.


Eu aprendi que se não dá pra fazer uma refeição completa, eu posso comer uma fruta ou tomar um iogurte e meu corpo aguenta mais umas três horas sem me derrubar.


Mas e amor, tem na geladeira?


Hoje eu passei muito tempo sem comer, e a fome começou a me doer mais do que o nariz que eu quase quebrei na porra do flying boat aqui em Bombinhas. Aí parti pro restaurante DAQUELE JEITO pro garçom: “moço, me vê tua alma com maionese”.


Pedi entrada, um elfo, um unicórnio, dois sucos de laranja e uma coca cola.


Eu que nunca bebo durante a refeição.


Comi o mundo e a alma do garçom e ainda trouxe a coca pra casa. Tô passando mal, claro. Tive que arrumar espaço pra dois comprimidos digestivos com mais uns goles de coca. Aí foi bem ruim. Consertar cagada é sempre pior que evitar, até o Nemo sabe, e a gente continua fazendo errado.


Quando você chega num restaurante com muita fome, pega um cardápio e vê a tua comida preferida, tudo que dá pra imaginar é que você vai ser o abestado mais feliz do mundo quando a parada estiver ali na tua frente, esperando pra ser atacada.


Só que comer desesperadamente e além da conta te faz mal.


Quando você encontra alguém que preenche todos os requisitos pra ser o prato principal pro qual todas as entradas te levaram, a fome causa o exagero. Nem precisa externar, basta querer demais, querer rápido, querer resultado, querer certeza.
Querer desesperadamente e além da conta te faz mal.
Até porque, nem sempre a comida chega como você imagina enquanto está sentado esperando, quase sentindo o gosto de antemão. Às vezes, falta sal. Às vezes, durante a espera, o pedido da mesa ao lado chega, e você fica na dúvida.


É muito louco.


Só sei que eu tô apaixonada e tomei no cu. Mas a gente não desiste, né? Não pode.

Obs: Eu não tô apaixonada, primeiro tenho que me permitir sentir isso por mim mesma. E tenho dito.

Um comentário:

  1. Esse primeiro momento na dieta é um pouco estressante mais vc vai ver que a cada etapa vencida dá mais vontade de lutar! Vai dar certo! Adorei o texto!

    ResponderExcluir