16 de ago de 2010


Dia comum, deixe-me estar ciente do tesouro que é você. Deixe-me aprender com você, amar você, saborear você, abençoar você, antes que se vá.


Não deixe que eu te ignore em busca de um amanhã raro e perfeito. Deixe-me agarrar você enquanto posso, porque você não será eterno.

Um dia, cavarei a terra com meus dedos, ou enterrarei meu rosto no travesseiro, ou retesarei meu corpo, ou elevarei minhas mãos para o céu, e desejarei mais que tudo no mundo: que você volte.

Mary Jean Irion

Nenhum comentário:

Postar um comentário