9 de dez de 2006

Pode tirar tudo de mim…

Pode tirar tudo de mim, menos a minha capacidade de escolher aquilo que eu quero, as minhas idéias, os meus pensamentos…

Pode tirar tudo de mim. Posso ficar aparentemente sem nada, mas ainda terei meu livre arbítrio; não sucumbirei à vontade alheia, senão a minha própria.

Quem eu amo ou deixo de amar, o que eu penso ou deixo de pensar, é algo meu, que somente a minha pessoa cabe decidir. Como dizia o Marquês de Sade, “A minha maneira de pensar - você diz - não pode ser aprovada. E que me importa? Bem idiota é aquele que adota uma maneira de pensar para os outros! Não foi a minha maneira de pensar que provocou a minha desgraça… Foi a maneira de pensar dos outros!”

Portanto, ninguém é responsável pelo meu destino a não ser eu mesmo. Que eu ame, que pense, que crie minhas metas e as siga, sem que me deixe levar pelas opiniões alheias.

E como eu mencionei no começo do post, pode tirar tudo de mim, menos a minha capacidade de escolher o que eu quero, minhas idéias e pensamentos…

Sobre a minha vida decido eu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário